Exploração Computacional de Estruturas de Relações Visuais

Nesta pesquisa, estudamos a metodologia de estruturas de relações visuais da forma criada pela professora Rowena Reed Kostellow com o uso de ferramentas de design computacional.

Nesta pesquisa, estudamos a metodologia de estruturas de relações visuais da forma criada pela professora Rowena Reed Kostellow com o uso de ferramentas de design computacional. Esta metodologia, desenvolvida ao longo de cinco décadas e um modelo de educação de design ao redor do mundo, treina estudantes e designers a serem mais sensíveis às relações abstratas da forma e ensina um sistema para localização de forma. É importante frisar que nosso objetivo não é propor o uso de computadores ao invés das mãos. Ao contrário; como entusiastas desta pedagogia, nosso objetivo é a melhor compreensão deste sistema. Para essa finalidade, procuramos por padrões ocultos do sistema que apenas computadores podem processar.

Para melhor compreender o sistema, realizamos um projeto em três fases. A primeira fase consiste na criação de algoritmos que replicam virtualmente modelos de um dos sistemas da metodologia. Na segunda parte da pesquisa, criaremos um algoritmo analítico para calcular os dados complexos provenientes das composições criadas na fase anterior. Na fase três, esperamos criar uma taxonomia com os modelos gerados, baseado nas informações adquiridas durante a fase dois.

Baseamos nosso primeiro experimento computacional no primeiro problema da metodologia de Rowena, o de volumes retilíneos. O objetivo do exercício era criar uma unidade entre três formas retilíneas com as características mais distintas possíveis. Utilizamos os princípios do exercício para nosso algoritmo generativo. Algumas das regras utilizadas foram:

  • Volumes devem variar em características;
  • Diferenciar volumes escolhendo formas dominantes, subdominantes e subordinadas;
  • Variar as proporções inertes, comparativas e gerais da composição;
  • O eixo dos volumes devem ser perpendiculares entre si (nesse exercício);
  • O design deve compreender todas as faces do objeto;
  • Considerar como os volumes são juntados;
  • Volumes dominantes e subdominantes devem ser complementares;
  • A forma dominante deve se situar na posição mais proeminente.

Criando formas retilíneas em diferentes proporções usando o Diagrama de Zigg

Para criar formas retilíneas de proporções variadas, criamos um sistema baseado no Diagrama de Zigg. Este gráfico, introduzida por T. Zingg em 1935, é utilizada para mapear as dimensões relativas do eixo longo, curto, e intermediário de uma partícula, possibilitando a classificação de sua forma em laminar, oblata, equante ou prolata. Após a geração de formas retilíneas aleatórias, podemos usar este diagrama para agrupar formas de proporções similares para combiná-las posteriormente em composições.

As análises que desenvolvemos se dividem em quantitativas e qualitativas.

Em 1988, no fim de sua vida, a profa. Rowena já se preocupava com o uso de design computadorizado em um campo onde tato e visão são vitais. No livro Elements of Design, Gail Greet Hannah diz que “design com auxílio de computadores já se fazia presente durante o fim da vida de Rowena Reed, embora não tivesse transformado a prática do design na forma que nos é familiar atualmente. Ela se preocupava particularmente com os impactos do computador na prática do design tridimensional e alertava sobre o uso do computador para coisas que, cria ela, apenas o olho e a mão humana são capazes de realizar. Cabe aos que apreciam sua pedagogia de design realizar o salto intelectual e criar novos métodos de integrar as novas oportunidades e modos de expressão ao processo bi- e tridimensional tradicional.” Acreditamos que experimentos como esse podem indicar uma forma de integrar a metodologia de Rowena ao uso de computação e prototipagem rápida, sem tirar o foco na relação íntima entre humano e forma.